sábado, 15 de novembro de 2008

Medo das GENTES


Michel Fernandes (mfhamlet@gmail.com) 

Muitas pessoas podem ler o que sinto como bobagem, ou "viadagem", ou como prefiram definir, o fato é: dá pra se escolher o quê e o como sentir?

Hoje estou com medo das GENTES, de estar perto das GENTES, de falar com as GENTES, de ouvir as GENTES, de ler as GENTES... Por mais tosco e inapropriado, escolhi esse método para não machucar nem a mim nem aos que conheço.

Queria água em mim que me limpasse de mim!

3 comentários:

Jean disse...

oiiiiiiiiiiiiii, adorei o texto, viu, parabéns. besosssss...Je

ebaugusto1970 disse...

saiba que sou seu fã de carteirinha. As pessoas sao realmente dificeis de lidar, devido aos objetivos de cada um, entretanto, eu como professor se colocar barreiras ou tiver medo das atitudes das pessoas deixarei de dar oportunidade a mim mesmo de conhece-las, a exemplo disto pra vc ter uma ideia é quase certeza de eu ir conhecer uma pessoa que estou aprendendo amar e que admiro muito, mas que infelizmente, esta a horas de mim. Entretanto ,nao penso no fato de ter medos ,acho que vai alem , estarei permitindo-me conhecer, perceber até onde posso ir e fazer ao conhecer uma pessoa, assim, terei oportunidade de escolha, decisoes e atitudes. abraços.

ebaugusto1970 disse...

*desintegracao da estrutura familiar,*relação afetiva (qualidade vs quantidade ),* a "foda" para a auto-satisfação *VAZIO.
Lembro-me que alguns meses antes de sair da faculdade, expus a minha ansiedade a uma professora sobre a inseguranca que eu tinha sobre não estar preparado e apos a discusão ,identifiquei que a falta de confiança e a descrença seria uma trava para a relização profissional. No campo do relacionamento eu ja havia esquivado-me muito , por isso estou correndo atrás da minha realização pessoal. Estou ciente que para isso, dependerá das duas pessoas envolvidas, discutirem o que realmente querem , entender e saber e compreender as limitações de cada uma, para que possam equacionar um objetivo de vida. Fernandes problemas todos tem e não deixarão de existir, acredito que o importante é saber como serão resolvidos e tirar plena satisfação quando estes obstáculos são superados. Todas as pessoas querem receita de bolo, mas isto não existe. Há de se fazer adequações, já que cada um é cada um e temos reações diferentes em cada esperiência de vida. Preocupar-se com a perda de algo que ainda não tem é antecipar neuras, e também entendo que não devemos estar alienados ao que vemos e vivemos e procurar dar valor no que é importante para o outro. Temos que lutar em primeiro lugar, para que nossa auto estima seja sempre positiva. derrepente um sorriso ja faz a diferença. Jovem percebe que no quinto paragrafo vc mostra como vc deve agir? Você pode não ter as respostas para outra pessoa, visto que cada um é cada um como dito anteriormente ( as vezes algumas linhas de nossas vidas se cruzam dando um nó e algus relatos seus servirão para reflexão para o auto-conecimento) mas você já possui um norte sobre qual caminho prosseguir. saiba que toda crise é passageira. Espero que vc faça as suas melhores escolhas. O mesmo para seus leitores. Um abraço.